Degustação

Tendências da Páscoa

15 de abril de 2017
Ovo 70% Arauca
Vila Chocolat

Foto publicada no Caderno Paladar: Ovo Auraca 70% da Vila Chocolat.       

Aqui vai a minha reflexão deste ano sobre as inúmeras avaliações de ovos de Páscoa que acompanhei por São Paulo.

Quais são as tendências? Quais as novidades em relação aos anos anteriores?

Em uma das avaliações que participei ouvi um comentário que me marcou: “todos os chocolates têm o mesmo cheiro”. Sabemos que a maioria dos ovos de chocolaterias gourmets usam a mesma matéria-prima, ou seja, o mesmo chocolate como base, mas este comentário me fez pensar que as pessoas já se cansaram da mesmice e querem coisas novas. Bom, quem conhece chocolate (e estou falando do chocolate puro e sem recheio) sabe que as essências usadas por cada marca (seja de baunilha ou outra) tornam-se marca registrada. Portanto, cada marca de chocolate tem seu aroma próprio, bem característico. Os comentários indicam que as pessoas já estão reconhecendo que é tudo “farinha do mesmo saco” quando se trata de chocolate gourmet.

Talvez por isso, neste ano, as avaliações começaram a apontar como vencedoras as marcas de ovos e produtos de Páscoa com mais personalidade em sabor – muitas nem usam essência, é o genuíno chocolate.

Classificada em primeiro lugar nos “amargos” do Paladar está a Luisa Abram com um amargo intenso, cheio de notas surpreendentes. Esse é um chocolate bean-to-bar onde o processo é acompanhado de perto – desde a colheita do fruto do cacau – para fazer seu próprio chocolate, com apenas cacau e açúcar. Isso mesmo, só dois ingredientes! E para dar mais orgulho, é 100% nacional, com amêndoas de cacau do Pará.

Outro muito elogiado dos amargos foi o Pratigi da Chocolat du Jour, também com cacau brasileiro, amargo, intenso e único. Muito bom!

Existe também uma marca colombiana, a Casa Luker, que está começando a conquistar espaço nas cozinhas dos chocolatiers. A Gallette costuma usar esse chocolate e, inclusive, foi premiada como o melhor ovo recheado. Na receita: café e cointreau, além do chocolate colombiano de origem Tumaco, 85% cacau. A Vila Chocolat também usa chocolates da casa Luker em alguns produtos. Tem um ovo de Páscoa 70%, origem Arauca, fazendo o maior sucesso (dá uma espiada na foto)

Também percebi novas chocolaterias no pedaço. Mesmo que já existissem há algum tempo, neste ano, caíram no (bom) gosto dos especialistas. Dou um destaque para a Le Délice que trabalha o chocolate de modo delicado e harmônico, com uma produção bem artesanal e de muita qualidade.

Depois dessa degustação toda, fiquei ainda mais satisfeita da Páscoa nos revelar um mercado de chocolate premium com muito potencial para o Brasil. As pessoas passaram a reconhecer o verdadeiro chocolate e, cada vez mais, encantam-se pelo cacau e suas nuances e não mais pelo açúcar e essências.

O meu sonho é que o brasileiro, um dia, perceba que aquele chocolate da infância merece seu lugar guardado no coração, junto das boas recordações. Mas que o sabor do verdadeiro chocolate é este que existe hoje! E está cada vez mais fácil de encontrar por aqui :)

Boa Páscoa e Bons Chocolates para você!

Dá uma olhada nesses também

Sem Comentários

Responda